Orchid News # 34
XIX WOC


 
Roland Schettler
Depois de estudar teologia, filosogia e biologia, trabalha como cientista no campo da biotecnologia no Instuto de Plantbreeding, Bundesforschungsanstalt für Landwirtschaft em Braunschweig, Alemanha e como professor de colégio em Halver, também na Alemanha. É um dos fundadores do Vereinigung Deutscher Orchideenfreunde e seu presidente desde 1995, e, desde 1994, é o editor do "Journal für den Orchideenfreund", autor de diversos artigos e editor de dois livros referentes a orquídeas, sendo que o último o livro of several "The Dendrobiums" que ganhou a medalha Engler pelo melhor livro de taxonomia do mundo, em 2007. Ele é palestrante e juiz de Conferências Mundiais de Orquídeas e do "European Orchid Council'.

ON: Roland, em sua palestra, o senhor forneceu muitas informações sobre a maneira de cultivar espécies de Dendrobium. Entretanto, o senhor não mencionou quais as condições encontradas em seu orquidário. O senhor mora na Europa, não é? Como é a seu orquidário? O que o senhor pode nos dizer sobre as condições e as adaptações que o senhor teve fazer para cultivar as espécies de Dendrobium?

RS: Em minha região, Europa central, nós temos um período que vai de maio até setembro onde temos um clima um pouco mais quente com luminosidade suficiente para cultivar Dendrobiums. Durante o inverno com a luminosidade baixa, é muito difícil manter os Dendrobiums vivos. Você precisa ter muito cuidado coma rega e até mesmo ao borrifar porque a temperatura baixa e a umidade elevada vai provocar muitas doenças devidas à infecção de bactérias e fungos.

ON: O senhor recomendou um substrato bem drenado com casca de pinho, perlite e pedaços e casca de coco. Muitas pessoas tiveram uma experiência desastrosa com casca de pinho e casca de coco em locais de clima quente e umidade ambiental elevado. O que o senhor pode nos dizer sobre isto. Seu orquidário possui um ambiente úmido?

RS:
Para usar casca de pinho e casca de coco, você precisa checar o tempo todo quais as condições de água dentro do vaso. E com mau tempo e temperatura baixa como temos na Europa, você pode ter problemas com o apodrecimento da raiz. Eu acho que pode acontecer a mesma coisa nos trópicos porque a casca vai apodrecer rápido e pode ocorrer do substrato ficar encharcado dentro do vaso e Dendrobiums amam ter aeração em torno de suas raízes. Algumas espécies se dão melhor quando plantadas em casca com fibra de coco

ON: E sobre as recentes descobertas que o senhor menciona, Dendrobium trantuanii e Dendrobium vietnamense? Em que condições eles crescem? São espécies de frio ou de calor?
RS: Estas duas novas espécies, Dendrobium trantuanii and Dendrobium vietnamense cresce em condições intermediárias o que quer dizer 15°C à noite e 18°C durante o dia, mas com sol, a temperatura é mais elevado.

ON: O senhor disse que seu interesse pelo gênero Dendrobium já dura 30 anos. É um longo caminho e, apenas, por curiosidade, quantas espécies o senhor possui e quantas plantas?
RS:
Eu não sei exatamente porque durante a primavera eu compro alguns e durante o inverno, eu perco alguns mas acredito que tenha em torno de 100 espécies.

ON: Quais as suas espécies preferidas?
RS: Minhas espécies preferidas são D. mohlianum, D. falconery e D. limpidum, mas isto muda frequentemente na época da floração. Todas as orquídeas têm seu próprio charm.


É expressamente proibido qualquer tipo de uso, de qualquer material deste site (textos, fotos, lay-out e outros), sem a expressa autorização de seus autores sob pena de ação judicial. Qualquer solicitação ou informação pelo e-maill: orchidnews@oi.com.br