Orchid News # 34
XIX WOC



Phragmipedium kovachii
, Além da Descoberta
                                                   por Alfredo Manrique

Depois de anos de rumores sobre uma nova espécie de Phragmipedium vista nas encostas do leste dos Andes, em remota floresta de altitude no nordeste do Peru, Phragmipedium kovachii foi finalmente descrito em junho de 2002. A espécie é endêmica para o distrito de Pardo Miguel, Província de Rioja, San Martin, Peru. Esta parte do país é bem conhecida por sua riqueza de orquídeas, muitas delas ainda não identificadas.
Phragmipedium kovachii cresce em populações normalmente com menos de 2500 plantas adultas, em altitude que varia de 1600 a 1900 metros acima do mar.
As condições climáticas nesta área são de dias amenos com temperatura diurna de 24ºC e noites frias de 10ºC.
A umidade atmosférica é acima de 85º, chove quase todos os dias, com pouca intensidade no inverno e alta intensidade no verão que coincide com o pico de floração, principal razão pela descoberta tardia desta surpreendente espécie com flores púrpuras e pétalas de quase 23cm.
Foi feito um estudo completo do solo e dos tecidos com o intuito de compreender o hábito de crescimento desta espécie.
Foram retiradas duas amostras de solo de três habitats.


Hábitat 2 1.7 1.9 60 85% 0.41 7.9
Hábitat 3 1.7 1.7 185 53.8% 0.19 7.99
  OM P K CaCO 3 EC dS/m pH
             

OM: Matéria Orgânica
EC: Conductividade elétrica

A análise do desenvolvimento das folhas foi concluída produzindo os seguintes resultados:

N P K Ca Mg Fe
0.72 0.08% 0.49% 2.34% 0.50% 179ppm

Segundo estes resultados, Phragmipedium Kovachii cresce em solo alcalino, com muita drenagem, poucos nutrientes e com elevada consumo de cálcio, magnésio assim como ferro.


Cultivo:
Em maio de 2003, 5 plantas adultas Phragmipedium Kovachii foram coletadas e levadas para cultivo em Lima, Peru. Lima tem um clima ameno, com temperatura máxima de 30ºC e míniima de 11ºC, a umidade relativa é, normalmente, acima de 80% durante o ano todo.
O tempo é, geralmente, nublado durante o inverno.
As plantas foram cultivadas em luminosidade média sem receber nenhum sol direto, em estufa sombreada sem nenhum aquecimento.
Cachepots de arame de 12 polegadas de diâmetro revestidas com malha fina de plástico foram escolhidas como containers já que as plantas coletadas tinham, no mínimo, 15 brotações. Após tentar diversas misturas de solo, os melhores resultados foram obtidos com os seguintes materiais:

Pedra brita, partículas de 0.8cm 40%
Cascas finas de abeto 30%
Carvão 15%
Perlite grossa 10%
Conchas de ostras finamente moídas 5%

Para manter a fonte de cálcio, 20% das pedras da mistura do substrato era de rocha de calcário e o resto de rocha granítica.
Do mesmo modo do que o encontrado no habitat, foi colocada uma fina camada de Sphagnum por cima do substrato.
A rega deve ser feita com água contendo quantidade baixa de sais dissolvidos, abaixo de 60 ppm é o recomendado.
A planta deve ser adubada uma vez por semana ou a cada 2 regas, usando um total de 350 ppm de adubo 15 5 15 com 8% de cálcio, 2% magnésio e micro-elementos como Zn, Mn, Fe e B. Aplicações adicionais de Ca e magnésio são indicadas.
Em cultivo, esta espécie pode florir o ano todo ... entretanto, é recomendado o manejo para impedir a floração durante os meses mais quentes do ano já que as flores tendem a mostrar deformações e não ter o desenvolvimento de de seus segmentos completo.

Propagação:
Os procedimentos in vitro requerem o uso de meio de germinação com pH acima 7 e TDS não acima de 1500ppm. A temperatura do ambiente deve ser mantida em torno de 22ºC.
O sucesso dos procedimentos in vitro se baseia no replante freqüente e adição de cálcio e magnésio ao meio de cultivo.

Depois de 8 a 14 meses após o semeio, os seedlings devem estar prontos para serem colocados em estufa no processo chamado "retirada do frasco"; a chave para uma média elevada de sobrevivência é a elevada umidade ambiental por não menos de 4 semanas e com uma gradual redução de umidade ambiental.
Uma aplicação de silicone e uma adubação diária durante o primeiro mês se mostrou muito importante para os seedlings se adaptarem às novas condições de crescimento, temperaturas diurnas neste estágio deve ser em torno de 26ºC e noturnas em torno de 18ºC.


Alfredo Manrique
CENTRO DE JARDINERIA MANRIQUE
Lima - Peru
cjmgard@terra.com.pe
www.phragmipediumkovachii.com

Proprietário do Centro de Jardinería Manrique, empresa fundada 1979.
Estufa de orquídeas e laboratório de cultura em vitro licenciados.
O orquidário é decidado ao cultivo de espécies de orquídeas peruanas e seus híbridos produzidos e, desde 2003 produz Phragmipedium kovachii e seus híbridos


É expressamente proibido qualquer tipo de uso, de qualquer material deste site (textos, fotos, lay-out e outros), sem a expressa autorização de seus autores sob pena de ação judicial. Qualquer solicitação ou informação pelo e-mai: orchidnews@oi.com.br