Patricia Harding

Taxonomia do grupo de Encyclia



O grupo de plantas englobadas nesta palestra está inserido na subtribo Laeliinae. Elas pertencem a um grupo de espécies que originalmente eram conhecidas como Epidendrum e, depois, como Encyclia, que em seu conceito antigo foi dividida em outros gêneros. Dessa forma, a palestra em questão aborda as características físicas de alguns desses gêneros propostos, com ilustrações e muitas fotografias das espécies para enfatizar as similaridades e as diferenças de cada uma.
Epidendrum são plantas de caule tipo caniço com pouco ou nenhum pseudobulbo e cuja coluna é fundida com o labelo em todo seu comprimento, formando um tubo. Além disso, seus frutos são redondos.
Encyclia tem pseudobulbos heteroblásticos arredondados (alargados junto de apenas um entrenó), suas folhas são rígidas, não tem bainha evidente na inflorescência, seus frutos são ovais ou circulares nas seções cruzadas e, o mais marcante, seu labelo é livre da coluna - não é fundido como o Epidendrum e não possui dentes no ápice da coluna circundando a antera.
Muitas espécies originalmente classificadas como Encyclia e que ainda são Encyclia, em seu sentido original, têm diversos traços que fazem com que o "encaixe" seja desconfortável.
Em 1998, Higgins separou um grupo de espécies de Encyclia, colocando-as em Prosthechea. Ele definiu Prosthechea como possuindo pseudobulbos que são ligeiramente achatados, homoblásticos (alargados junto de alguns nós) e com folhas flexíveis, não rígidas. As espécies possuem uma inflorescência que emerge do ápice do pseudobulbo com espata. A coluna é parcialmente fundida desde a base até a metade no sentido de seu comprimento e é achatada e dentada em seu ápice. Essas espécies possuem cápsulas triangulares ou aladas.
Withner e Harding tomaram as espécies Prosthechea sensu Higgins e as dividiram em gêneros mais claramente definidos.
As espécies de Anacheilium, originárias da América tropical e subtropical, têm flores não ressupinadas e coluna com dentes de tamanho igual.
Pollardia inclui espécies que são de climas mais secos do México e da América Central, com uma espécie encontrada na América do Sul. As flores pequenas e ressupinadas são coloridas e bastante grandes para o tamanho da planta. A coluna apresenta dentes, em seu ápice, do mesmo tamanho.
As espécies de Hormidium, originárias da América tropical e subtropical, têm o dente mediano da coluna curvado como um bico de pássaro. São plantas pequenas com pseudobulbos arranjados como contas de um colar ao longo do rizoma. As espécies de Panarica, a maioria da América Central, têm flores com labelos trilobados, com um lobo mediano grande e pontiagudo. A coluna tem dentes laterais grandes da mesma forma que o dente mediano, que é guarnecido de fímbrias.
As espécies que não se encaixaram em outro gênero permaneceram em Prosthechea, definido como tendo um longo isthmus na base do labelo antes da conexão dos lobos laterais.
Esse grupo de espécies parece poder ser realmente dividido em mais três outros gêneros, já que as flores apresentam três modelos diferentes de forma. E necessário, portanto, um estudo sobre tais espécies.
Guy Chiron também esteve trabalhando com esse grupo e chegou a algumas das mesmas conclusões que Withner e Harding. Ele as publicou com Castro, em 2003, e baseou seus estudos na morfologia. Segundo esses autores,

  • Prosthechea, subgênero Prosthechea, é composto por P. glauca e P. squamata (Prosthechea sensu Withner e Harding);
  • Prosthechea, subgênero Osmophytum, inclui as espécies sem lobo de Anacheilium (Anacheilium sensu Withner e Harding);
  • Prosthechea, subgênero Equiloba, inclui as espécies de Anacheilium trilobadas {Anacheilium sensu Withner e Harding);
  • Prosthechea, subgênero Hormidium, inclui Grammatoglossa no mesmo agrupamento de Hormidium sensu Withner e Harding.

Chiron e Castro também cunharam um novo gênero, Pseudoencyclia, que combina algumas espécies de Pollardia, Panarica e algumas das listadas em Prosthechea.
Infelizmente, Pseudoencyclia foi publicada por Chiron em novembro de 2003, tornando-se o nome correto para Pollardia Withner e Harding, em função da prioridade de publicação. Chiron usa Epidendrum michuacanum como a espécie-tipo para esse gênero, o qual possui muitas características não encontradas em outras espécies incluídas em Pseudoencyclia/Pollardia. Com o tempo, talvez E. michuacanum e algumas outras espécies possam ser segregadas desse grupo, e o nome Pollardia possa se tornar válido novamente.
Muitas dessas espécies já fazem parte das coleções de várias pessoas.
Elas são plantas de crescimento relativamente fácil, de floração rápida, além de serem resistentes a pragas e doenças. O fato de a maioria de tais espécies possuir floração relativamente durável, e ser freqüentemente perfumada, faz delas plantas atraentes para os entusiastas. Meu objetivo ao completar este trabalho era criar uma compilação que ajudasse a identificar tais plantas, pois se espera que os cultivadores se sintam compelidos a colecionar e cultivar as espécies raras desse grupo.